José Valizi

 

Fazendinha do Valizi - Memórias de José Valizi

 

Enviar mensagem de e-mail   Facebook

 

 


 


 

CAPÍTULO

   

Faça uma pequena doação e

ajude-nos a produzir novos

conteúdos para este site.

======================

Publicidade

Estórias da fazendinha

por José Valizi (publicado em 04/05/2016)

 

Considero-me uma pessoa de sorte porque aqui na minha fazendinha acontecem coisas que fazem a alegria das pessoas. Mas alguns fatos são tão estranhos que fica difícil acreditar; mas é tudo verdade. Abaixo, vou recordar alguns deles.
 

As galinhas e os ovos de chocolate

Durante a quaresma a gente tratava as galinhas com chocolate em pó, misturado no cocho, com a ração das galinhas. Então, quando chegava a época da Páscoa, as galinhas botavam um montão de ovos de chocolate. Tinha ovo de Páscoa de todo tamanho. Algumas galinhas conseguiam botar ovo de até 5 quilos, porque a gente colocava também um pouco de fermento misturado ao chocolate em pó. Dava para encher balaios e mais balaios de ovos de chocolate para distribuir à garotada na época da Páscoa. Era uma alegria só; coisa impressionante...
 

O abacateiro

Aqui na fazendinha tem muitos pés de frutas, inclusive muitos abacateiros. Só que um deles é diferente: os abacates não têm caroço. A gente parte o abacate e, no lugar do caroço, ele vem recheado de bombons, balas, doces... A meninada faz a festa com esse pé de abacate aqui da fazenda. Inclusive, já teve criança, que era filha de ouvinte do programa Fazendinha do Valizi, dando birra porque queria um abacate desses...
 

Ilustração: Maria Eduarda Pimenta Zanquetta (9 anos)

O abacateiro (Ilustração: Maria Eduarda Pimenta Zanquetta, 9 anos)

 

 

Pé de dinheiro

O bom da minha fazendinha é que muita coisa dá em árvore; e não é só fruta, não; até pé de dinheiro tem aqui. A árvore dá notas de cinquenta, de cem, mas não vinga porque o dinheiro que ela produz fica chocho, e não dá para aproveitar. A árvore de dinheiro só serve mesmo para enfeitar o terreiro da fazendinha. Ela dá uma florada, uma carga grande, que é a coisa mais bonita; mas o dinheiro que é bom, não tem valor nenhum porque é chocho...

 

O ninho dos passarinhos

Aqui na fazendinha é tudo atrapalhado mesmo. O que não falta são árvores para a passarada fazer os seus ninhos, mas a danada da "fogo-apagou" (para quem não sabe é uma ave, parecida com a rolinha), quando encontra a janela da casa aberta, vai fazer o seu ninho dentro da lata de açúcar. Então, a gente não pode descuidar e esquecer a lata de açúcar aberta que a fogo-apagou começa a construir o ninho lá dentro. Uma vez até aconteceu algo engraçado; a dona Ricardina, que tomava conta aqui da cozinha da fazendinha, enfiou uma xícara dentro da lata, sem prestar atenção, para pegar um pouco de açúcar para fazer o café e, em vez da xícara sair cheia de açúcar, saiu foi com o ninho da fogo-apagou; e a danadinha da ave era tão sossegada que nem saiu voando de susto; veio junto com o ninho também...

 

O leite da fazendinha

E por falar em açúcar, a gente costumava colocar um pouco no cocho para o gado comer. As vacas comiam o açúcar e já davam o leite docinho, não precisava nem adoçar. Quanto mais açúcar a gente botava no cocho, mais docinho o leite saía...
 

Ilustração: Maria Eduarda Pimenta Zanquetta (9 anos)

O leite da fazendinha (Ilustração: Maria Eduarda Pimenta Zanquetta, 9 anos)

 

   
   

APOIO CULTURAL

Faça uma pequena doação e

ajude-nos a produzir novos

conteúdos para este site.


REPUBLICAÇÃO RESTRITA

Não está autorizada a republicação dos artigos deste site em nenhum outro site na internet. Caso você queira compartilhar através da internet algum artigo aqui publicado, sugerimos que você poste uma chamada com um link, de tal modo que a leitura do artigo seja feita no site Fazendinha do Valizi. Para republicação em mídias impressas, mediante autorização prévia, deverá constar como fonte do artigo o endereço deste site (www.valizi.com.br).


Desenvolvido por Portal Onde Ir